Tiroteio mata dois homens e fere bebê em Ipiranga

Dívida de R$ 5 mil teria sido a motivação da briga que culminou na morte de dois homens na noite desta sexta-feira num bairro residencial em Ipiranga, região dos Campos Gerais. Um menino de três meses e seu pai que passavam pela rua também foram atingidos por um tiro. Adolescente de 16 anos sofreu agressão na confusão e acabou apreendido pela polícia. Uma mulher, de 26 anos, seria a responsável pelo duplo homicídio, de acordo com a Polícia Civil. Foragida, a suspeita convive com Luiz Augusto Ferraz Neves, 26, preso em flagrante pela Polícia Militar por tentativa de homicídio.

O bebê de três meses foi socorrido, encaminhado para a Santa Casa de Ponta Grossa e transferido para o Hospital do Trabalhador, em Curitiba. Seu quadro é estável, embora a situação seja grave, conforme informações da assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Saúde. A bala passou pelo braço direito do pai do bebê e atingiu a região abdominal do recém-nascido. O ferimento do pai é leve e não representa risco à vida.

Os corpos dos dois homens, um atingido na cabeça e outro no tórax, foram recolhidos pelo Instituto Médico Legal de Ponta Grossa. Ferraz, depois de passar pela Delegacia de Ipiranga para prestar depoimento, foi levado para a 13ª Subdivisão Policial, de Ponta Grossa, e transferido à Cadeia Pública Hildebrando de Souza, onde deve permanecer enquanto são apuradas as circunstâncias dos crimes.

Como foi

O casal chegava em casa, na rua Josefa Vieira, Bairro Ulisses Guimarães, às 21h15 quando foi abordado por Marco Aurélio de Almeida, 29, e José Valdecir Nunes, 38 – os dois que acabaram mortos. Marco Aurélio e Valdecir, mais o adolescente, foram a Ipiranga supostamente cobrar uma dívida de R$ 5 mil. O valor teria sido pago a Ferraz na compra de duas caminhonetes, que não foram entregues.

O delegado da cidade, Mariano Petrunkon, conta que Marco Aurélio e Valdecir estavam armados na intenção de intimidar o devedor, mas que foram surpreendidos pela mulher de Ferraz. “Segundo testemunhas, a esposa dele tirou uma arma da bolsa e efetuou disparos contra esses dois. Nas imediações, uma criança e seu pai foram atingidos e o adolescente entrou em luta corporal com o Ferraz, ficou ferido, foi medicado e liberado para prestar esclarecimentos”, descreve.

Um policial rodoviário estadual que mora perto da rua onde os crimes aconteceram teria percebido a confusão e chegou a tempo de conter Ferraz e o adolescente, que estavam em luta corporal, diante dos corpos estendidos. “De início já tem a tentativa de homicídio por parte do preso, que também tentou atirar contra o adolescente, e o duplo homicídio pela mulher, que se evadiu”, confirma Petrunkon.

O delegado afirma que Ferraz teria vendido os veículos aos homens de Ponta Grossa, recebido o valor em dinheiro, mas não entregava os carros, supostamente produtos de leilão da Receita Federal. “Por causa de R$ 5 mil, duas pessoas se foram e aquele pai com o bebê acabaram baleados”, lamenta.

Fonte: Diário dos Campos/EMANOELLE WISNIEVSKI
Foto: Arquivo DC

Previsão do Tempo

Publicidade

logo 

 

logoalvo 

 

 fotopontab